Computadores e cérebro humano

Autor: 
Jonathan Strickland

Spercomputadores massivos podem realizar trilhões de cálculos por segundo
iStockphoto
Supercomputadores massivos podem realizar trilhões de cálculos por segundo

Os cientistas da computação poderiam construir uma máquina que simula a maneira como os humanos pensam? Não é tão simples quanto parece. O cérebro humano é incrivelmente complexo. Nós ainda não temos uma completa compreensão de como ele funciona. Sem essa compreensão, é desafiador criar uma simulação significativa do cérebro.

Um dos recursos de que os computadores precisariam para ser mais inteligentes que os humanos é a capacidade de tirar conclusões de observações. Em um estudo publicado em 2009, engenheiros da computação da Universidade Cornell construíram um programa que poderia fazer isso em escala limitada. O programa deu ao computador um conjunto básico de ferramentas que ele poderia usar para observar e analisar os movimentos de um pêndulo. Usando essa base, o software foi capaz de extrapolar as leis básicas da física dos movimentos do pêndulo. Levou cerca de um dia para o computador chegar às mesmas conclusões que os humanos levariam milhares de anos [fonte: Steele].

Embora o projeto da Cornell tenha sido um feito extraordinário na engenharia da computação, nós ainda estamos a anos-luz de distância dos computadores que possam tirar conclusões de observações gerais. O software da Cornell deu ao computador as ferramentas que ele precisava para tirar as conclusões - mas o computador foi incapaz, ele mesmo, de criar ou refinar essas ferramentas.

Enquanto os computadores se basearem em conjuntos de instruções pré-instaladas para realizar tarefas, não se poderá dizer que eles são mais inteligentes que nós. Apenas quando os computadores puderem adaptar e realizar tarefas fora de sua programação inicial é que eles serão verdadeiramente inteligentes. Até lá, computadores são apenas calculadoras muito sofisticadas.

Dezenas de cientistas da computação estão tentando resolver esse problema crucial. Alguns estão tentando projetar computadores que podem imitar o pensamento humano - uma situação trapaceira,, considerando que nós ainda nã temos um completo entendimento de como pensamos. Outros cientistas da computação preferem projetar sistemas que não usam o cérebro como modelo. Futuristas como Ray Kurzweil predizem que é apenas uma questão de tempo antes que desenvolvamos um sistema de computador capaz de se autoconhecer. Depois disso, nós veremos computadores capazes de realizar melhorias autorrecursivas. isso quer dizer que os computadores serão capazes de analisar suas próprias capacidades e fazer ajustes para melhorar o desempenho.

Mas criar um computador que se autoconheça está além de nossa capacidade no momento. E pode até não ser possível. Embora continuemos a ganhar compreensão nos campos da biologia e da ciência da computação, é possível que encontremos um obstáculo fundamental antes que possamos criar uma máquina que se autoconheça. Alternativamente, podemos chegar a um ponto em que a inteligência de humanos e máquinas se fundam, colocando a questão inteira em discussão.

Leia mais sobre inteligência artificial e ciência da computação nos links da próxima página.